HORA DA RETOMADA

0
281

Com quatro grandes feiras programadas ainda para 2021, a NürnbergMesse Brasil, um dos players do setor, dá a largada para o reencontro presencial com o mercado

Por Carlos Eduardo Oliveira

“Mais que eventos, encontros”. Ou seja, não basta somar – o ideal é multiplicar. Com essa filosofia de gestão, a NürnbergMesse Brasil atua há 12 anos na linha de frente dos maiores eventos corporativos no país. Messe, aliás – traduzível, do alemão, para “feira corporativa” – está no DNA da empresa, subsidiária da gigante germânica fundada em 1974 em Nuremberg, na Bavária, uma das maiores multinacionais organizadoras de feiras e exposições do planeta (e uma das dez maiores corporações europeias). Impedida de realizar o que faz de melhor, para o reposicionamento ante os efeitos da pandemia, a NürnbergMesse Brasil democratizou, entre os seus colaboradores então ainda confinados, a chancela para as estratégias de enfrentamento dos desafios do (oremos!) pós-pandemia (ver entrevista). Trata-se de rara decisão empresarial. Mas acertada: em qualquer seara de negócios, sinergia profissional, engajamento da equipe, commitment, é tudo. Ainda mais em um (com o perdão do clichê) “novo tempo”.      

“Mais do que nosso material humano, um dos grandes ativos desta empresa é a coragem”, destaca João Paulo Picolo, atual CEO da companhia. Portfólio robusto, aliás, é uma das assinaturas da empresa. Em novembro, a NürnbergMesse dá a largada para a retomada – sob estrita política de segurança sanitária – de alguns de seus eventos presenciais, feiras-referência na América Latina nos respectivos segmentos. Caso da PET South America e da PET VET, eventos – com trocadilho – de pedigree internacional, as maiores do país nos setores pet e veterinário. “Enquanto outros setores amargaram números negativos, esse segmento teve um crescimento de 13,5%, em 2020, comparado ao ano anterior, segundo dados do Instituto Pet Brasil”, analisa Picolo – o “JP”, como é conhecido. “As vendas online e o fato dos petshops serem considerados serviços essenciais ajudaram a alcançar esse resultado”.

Com um mercado em contínua expansão, ambos os eventos, PET South America e PET VET, ocupam papel fundamental para a geração de negócios do setor. Obviamente, nos salões do São Paulo Expo, na capital paulista, a preocupação sanitária será integral, obedecendo uma série de protocolos em prol da segurança de público, expositores e funcionários, e contando inclusive com o apoio estratégico do Hospital Albert Einstein. “Agora é o momento de retomar os negócios e, para isso, vamos proporcionar um ambiente seguro e eficaz, respeitando todas as medidas sanitárias e até mesmo de comportamento”, explica Patrícia Oliveira, Head de produto do núcleo PET da NürnbergMesse Brasil. “Para nós, segurança e negócios andam juntos. Estamos com 80% da planta comercializada, os nossos clientes sabem da nossa responsabilidade e da longa tradição do evento”. 

Responsabilidade social

O mesmo vale para a FCE Cosmetique e para a FCE Pharma, eventos gratuitos cujas inscrições seguem abertas. Simultâneos, sinergicamente conectados dentro dos respectivos pavilhões, os eventos também acontecem em caráter presencial, no mesmo São Paulo Expo. Em ambos, o up-to-date das indústrias cosmética e farmacêutica: as principais novidades e tendências, lançamentos de produtos e oportunidades de negócios. Além da área de exposição, os participantes vão poder desfrutar de uma série de experiências e atividades de conteúdo: na pauta, uma intensa programação de palestras com especialistas de referências em suas áreas de atuação. 

Uma pesquisa realizada pela NürnbergMesse Brasil durante o recente Encontro Science Digital apontou que, após hiato de quase dois anos, o mercado mostra-se ávido por novidades. Nada menos que 83% dos participantes da pesquisa afirmaram sentirem-se confortáveis para visitar feiras e eventos de negócios ainda em 2021. “Neste tempo em que não pudemos realizar eventos, aproveitamos para nos preparar e elaborar encontros totalmente seguros. Também criamos novas formas de concretizar negócios. Tudo muito planejado, os eventos envolverão centenas de marcas em prol da retomada do setor, mas respeitarão todas as medidas sanitárias. O público conhece nossa responsabilidade”, explica Nadja Bento, head de produtos do núcleo Science. 

Impávidos colossos

De arquitetura assinada pelo mundialmente famoso escritório Zaha Hadid Architects, de Londres, os pavilhões de exposições da NürnbergMesse, em Nuremberg, são um verdadeiro prodígio arquitetônico. Denominados Hall 3A, construído em 2014, e Hall 3C (em 2016), antes da pandemia hospedavam cerca de 120 eventos ao ano, atraindo público de 1,4 milhões de visitantes. Quem já foi dá a dica: ao visitar Nuremberg, reserve ao menos um dia para conhecê-los – mesmo que não seja para participar de nenhuma feira.  

Destaques da programação

De realização simultânea, mas atendendo a diferentes setores de negócios, a retomada de eventos presenciais da NürnbergMesse Brasil reserva a empresas e participantes em geral uma agenda prolífica e diversificada. 

PET SOUTH AMERICA 

• Rodada de Negócios Nacional e Internacional:

Encontro entre compradores e vendedores do setor com o objetivo de promover melhores negociações e apresentar novos clientes. 

Pet Comportamento:

Série de palestras dedicadas a adestradores, dog walkers, cuidadores e afins, que desejam aprimorar suas habilidades. 

• Pet Desenvolve – Nova Gestão 

de Clínicas e Pet Shops:

Evento-satélite destinado a empreendedores do segmento, com conteúdo voltado para gestão, marketing digital e e-commerce.

• MasterGroom:

 20ª edição do maior campeonato de tosa e estética animal da América Latina, com centenas de competidores em mais de 30 categorias.

PET VET

• Congresso Técnico:

Um dos pilares do evento. Com foco na atualização profissional de médicos-veterinários, terá mais de 60 palestras sobre especialidades como endócrino, cardiologia, dermatologia, novas técnicas e tendências, etc.    

• PET VET LAB:

Espaço voltado ao que há de mais avançado e moderno no cuidado com os animais. Inclui um laboratório completo com aulas práticas. 

• Hospital Design:

Apresentação de um hospital referência, montado com os mais tecnológicos e atuais aparelhos, espaços e serviços para cães e gatos. 

FCE COSMETIQUE

• Congresso Brasileiro de Cosmetologia: 

Realizado pela Associação Brasileira de Cosmetologia, reúne empresas e renomados profissionais e pesquisadores em torno do que há de mais atual no mercado cosmético.

• Innovation Challenge: 

Área destinada à inovação, tem a proposta de apresentar novas soluções de matérias-primas. Inclui um espaço sensorial.  

FCE PHARMA 

• Congresso WNTC (We Need 

to Talk About Cannabis):

Debates, entraves e possibilidades – um passo adiante sobre o mercado de cannabis medicinal, no Brasil e no mundo.

• NFS – ​​Fórum de Nutracêuticos, 

Funcionais e Suplementos:

Oportuno olhar sobre o setor que não para de crescer e mostra excelentes condições de expansão.

Serviço

PET South America

30 de novembro a 02 de dezembro de 2021

Horário: das 13h às 21h 

Local: São Paulo Expo, SP 

Link para credenciamento: 

https://www.petsa.com.br/

PET VET

30 de novembro a 02 de dezembro de 2021

Horário: das 13h às 21h 

Local: São Paulo Expo, SP 

Link para credenciamento: 

https://www.petvetexpo.com.br/

FCE Cosmetique e FCE Pharma

30 de novembro a 02 de dezembro 

Horário: das 11h às 20hs 

Local: São Paulo Expo, SP 

Links para credenciamento: 

FCE Cosmetique: 

https://www.fcecosmetique.com.br/credenciamento

FCE Pharma: 

https://www.fcepharma.com.br/credenciamento

“Acreditamos que as pessoas estão ávidas para participar de encontros presenciais e voltar a fechar grandes negócios”

À frente da NürnbergMesse Brasil desde 2016, o CEO João Paulo Picolo tem no currículo passagens por empresas importantes, como o Transamerica Expo Center, Informa Markets e Reed Exhibitions, em São Paulo. Na soma, são duas décadas no segmento pelo qual declara paixão. “Eu amo esse setor. É um trabalho dinâmico, você atua em várias frentes e acaba aprendendo e entendendo um pouco de tudo”. A pandemia, ele reflete, forçou companhias e colaboradores – no seu caso, são 47 – rumo à total imersão em criatividade. Na NürnbergMesse Brasil, a estratégia funcionou. Sem poder contar com eventos presenciais, a diversificação, fruto de autoanálise interna, não só amenizou aspectos financeiros, como impactou em novos negócios. “Agora, estamos prontos para a volta das feiras. Esse ano serão apenas quatro, mas para 2022 estamos otimistas com o panorama geral”.    

HANDS ON – Como gestor de subsidiária de uma multinacional alemã, que espaço tem para imprimir na empresa suas próprias diretrizes?  

João Paulo Picolo – É importante ressaltar a liberdade e a autonomia que a matriz nos proporciona, temos nossa própria dinâmica no dia-a-dia da operação. Temos, sim, aprendido muito com os alemães e sua cultura, que dispensa comentários. Eles têm uma organização, planejamento, objetividade e uma maneira muito eficiente de tocar os negócios. O brasileiro tem o seu dinamismo, agilidade em encontrar soluções, espírito empreendedor. Aqui no Brasil, tentamos fazer essa mescla e é isso que trago como contribuição nesses últimos cinco anos de operação. Estamos gerando novas iniciativas, criando novas divisões de negócios, novos eventos. E isso tem um pouco do DNA dos que aqui estão. Temos uma liberdade muito bacana, um respeito que foi construído ao longo desse período e que permite que as coisas sejam bem administradas pela equipe local.  

HANDS ON – Quando menciona novas divisões, a que exatamente se refere?

JPP – Um exemplo é a NürnbergMesse Brasil Services, uma iniciativa para expandir nosso leque de atuação. Conseguimos ajudar nossos clientes em diferentes processos. Muitas vezes, o evento é ótimo, mas há um estresse relacionado à montagem. Com a Services, esse problema é solucionado. Nós já estamos dentro dos pavilhões, conhecemos os problemas e soluções, então ajudamos na participação dos expositores, com a montagem, ou então até mesmo organizando pequenos eventos e convenções nas empresas. Cuidamos desde aspectos como segurança, catering, sinalização até serviços de recepção, por exemplo. Somos uma espécie de agência e até o momento tem sido um grande sucesso. Hoje somos a única empresa a oferecer esse tipo de serviço no mercado. Mais recentemente, desenvolvemos outras três novas unidades de negócios: a NMB Smartdata, uma plataforma de inteligência artificial capaz de fazer uma análise completa de mercado e seus concorrentes, com tecnologia própria; a NMB Prime, onde oferecemos experiências diferentes e exclusivas, além de geração de conteúdo e de negócios, para um público mais seleto, formado por grandes gestores e C-levels, das indústrias em que atuamos. Temos ainda no Brasil outra empresa chamada Hiria NürnbergMesse, especializada em eventos de conteúdo: congressos, treinamentos, workshops etc. 

HANDS ON – O que levou a empresa atuar no chamado full service?

JPP – Temos uma relação muito forte com os setores da economia nos quais atuamos. São eventos tradicionais, consagrados e, por conta deles, conhecemos todos stakeholders. Sem falar que existe um nível muito grande de confiança na marca e em nossos eventos. Então, por que não elevar a relação a um novo patamar? Entendemos que a feira é apenas um deles, atuamos como um hub de inovações, um prestador de serviços 360 que vão do início ao fim do ano: convenções de vendas, lançamento de produtos e campanhas e até festas de final de ano. 

HANDS ON – Esse modelo brasileiro de full service nasceu da necessidade na operação da NürnbergMesse Brasil? Porque, ao contrário do modelo brasileiro, a matriz alemã é ao mesmo tempo promotora dos eventos e dona do próprio pavilhão.

JPP – Na verdade, nosso core business são as feiras, reconhecidas por sua qualidade. Mas sempre tentamos dar um passo a mais, atender as demandas que vão surgindo, evoluindo os serviços e tentando ofertar ao cliente soluções inovadoras de uma maneira 360. É uma questão de estudo de mercado e oportunidade. Queremos que o cliente tenha uma excelente experiência em todas as etapas dessa jornada. Toda empresa, em seu plano de marketing, prevê não só a participação em uma feira ou evento de negócios, ela tem outras iniciativas que ocorrem ao longo do ano todo. E é aí que estamos entrando com força. O resultado tem sido excepcional.

HANDS ON – Consegue avaliar o impacto da pandemia na operação da empresa? 

JPP – Foi um período muito difícil. Os cenários mudavam rapidamente e tudo era incerto. Então, logo no início, montamos um comitê de crise e fizemos reuniões praticamente diárias para entender o momento que estávamos passando. Depois, acionamos todo o time para discutir, com muita objetividade e transparência, o futuro do nosso negócio. Acreditamos que várias cabeças juntas pensam melhor do que uma sozinha. Aqui entra um pouco do espírito empreendedor que falei dos brasileiros, decidimos olhar para frente e desenvolver novas soluções. Como resultado, construímos quatro unidades, já em funcionamento e gerando bastante retorno. 

HANDS ON – Como se deu a participação dos colaboradores nesse processo?

JPP – Através de uma metodologia americana chamada action learning. Algo bastante efetivo, eficiente. Você expõe um problema – no caso, a possibilidade de não realizar eventos – e, através de várias reuniões, convida pessoas a discutir o assunto e gerar soluções. Convocamos toda a empresa, independentemente de cargo. E disso saiu um trabalho brilhante, as quatro novas unidades de negócio que desde então vêm atuando com muita força. 

HANDS ON – Qual o market share da NürnbergMesse Brasil hoje?

JPP – No Brasil, nossa operação já tem 12 anos de história. Eu entrei em 2016. Na época, estávamos posicionados em sexto lugar, em um ranking do mercado. Com muito trabalho, crescemos nossa participação e, hoje, a leitura é de que somos o número três no mercado brasileiro. Mas nossa intenção verdadeira não é ser o maior, e sim a melhor plataforma do segmento, entregando os melhores serviços, as melhores experiências e mais criativas soluções.

HANDS ON – De todo o portfólio da empresa, quais eventos você destaca?

JPP – Temos a FCE Cosmetique e a FCE Pharma, eventos que hoje, em seus campos, são os maiores do continente, maiores inclusive que feiras americanas. Da mesma forma, temos a Glass South America, listado como um dos maiores eventos do mundo em sua área. A PET South America, evento muito dinâmico e prazeroso de fazer, o mercado pet brasileiro hoje é o segundo do mundo, e a feira acompanha esse crescimento. Simultaneamente, realizamos a PET VET, totalmente voltada ao médico-veterinário, suas tecnologias e inovações. Temos também a ABRAFATI, um dos quatro maiores eventos do mundo do setor de tintas, e, na Europa, temos a European Coatings Show, que também é organizada pela NürnbergMesse. E a Expo Revestir, de design, arquitetura e construção, evento que dispensa comentários, entre os três primeiros do mundo no setor, com media de 65 mil visitantes. Sou suspeito para falar, mas a Expo Revestir é um evento elegante e extremamente eficaz de negócios. 

HANDS ON – No momento em que falamos em novos modelos de negócios, falamos também do aumento, em várias frentes, da responsabilidade social das empresas. Isso explica um evento como o Congresso WNTC, sobre os valores medicinais da cannabis? 

JPP – O que é um evento senão um ponto de encontro de uma determinada indústria? Novas soluções, novas tecnologias, discussão de temas de relevância do momento, que tenham um olhar de inovação, pensando do futuro. Conversando com clientes, observamos que esse é um tema que está na pauta, principalmente na indústria farmacêutica e de cosméticos. E nesse caso, o próprio nome, WNTC, We Need to Talk About Cannabis (“Precisamos Falar Sobre Cannabis”) é bastante original, provocativo. O evento reúne grandes especialistas. E por que na FCE Pharma? Porque os órgãos reguladores e as autoridades farmacêuticas estão discutindo o tema no momento. Então, não há lugar mais apropriado para isso do que na FCE Pharma, onde todos os players do mercado estarão reunidos. 

HANDS ON – Consegue avaliar o que significa para a empresa a volta de seus eventos presenciais?

JPP – O período da pandemia demandou demais de todos, fisico e mentalmente. Acredito que um dos ativos dessa empresa, além das pessoas, é a atitude e força de fazer dar certo. Temos lutado, e muito, para conseguir realizar os eventos. A coragem é um ativo importante nessa operação. Sempre acreditamos na força do nosso produto, do nosso business, que é oferecer o encontro de nossos clientes presencialmente junto com oportunidades de negócios. Estamos prontos para que tudo aconteça na mais absoluta segurança. Tenho certeza que nossos eventos desse ano serão um grande sucesso. 

HANDS ON – Descartando o biênio 2020/2021, quais os resultados da NürnbergMesse Brasil em números, no exercício de 2019, por exemplo? 

JPP – Até 2020, estávamos em crescimento exponencial. Todos os nossos eventos registraram aumento de mais de dois dígitos, desde 2016. Aí veio a pandemia e foi duro para toda a indústria. Mas temos um olhar muito otimista para o futuro. Acreditamos que as pessoas estão ávidas para se encontrar presencialmente. Em 2021, vamos conseguir realizar apenas quatro. Mas, no ano que vem, começamos, em março, com a Expo Revestir, que já está sold out. Nossa expectativa é muito positiva, existe uma demanda reprimida. Um evento de negócios é algo que acontece uma vez ao ano. E o ser humano é gregário, precisa do contato. Os negócios fluem muito mais.

HANDS ON – Ao longo da pandemia, quais têm sido seus hobbies possíveis? 

JPP – Comer e cozinhar (risos). Um prato acompanhado de um bom vinho é um dos meus hobbies prediletos (risos). Faço um risoto bem justo, pelo menos é o que minha família fala. Outra coisa que gosto muito de fazer – e preciso também para equilibrar (risos) – é correr no parque. É uma forma de meditar, relaxar e, ao mesmo tempo, movimentar o corpo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui