CRÉDITO PARA MICRO E PEQUENA EMPRESA

0
1148
OTAVIO NETO
Publicitário,
Jornalista
e Apresentador

O Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), criado para ajudar na manutenção das empresas durante a pandemia, se tornará uma medida permanente de acordo com decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no começo de julho. A medida movimentará um aporte de R$ 5 bilhões, por meio do Fundo de Garantia de Operações e a ideia é que o valor conceda até 25 bilhões em empréstimos ao longo de 2021.

Segundo Alexandre Sampaio presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, mais da metade dos pequenos negócios brasileiros (63%), de acordo com Sebrae, tiveram complicações quando tentaram acessar as linhas de crédito no ano passado. “Neste momento tão atípico que o país vive, só conseguiremos mudar o cenário se agirmos juntos. E nós, do Turismo, estamos de braços abertos para defender os interesses da população”, finaliza Sampaio.

CAMPANHA “AQUI TEM TURISMO”

O Sistema Fecomércio, Sesc e Senac do Acre lançou a campanha “Aqui Tem Turismo”, uma iniciativa que busca fomentar o turismo doméstico para que seja possível obter uma retomada responsável e consciente das atividades na região. De acordo com João Bosco Nunes, coordenador de Turismo do Sistema Fecomércio/AC, serão mostradas as potencialidades mercadológicas existentes no Vale do Juruá. Nesse aspecto, a campanha contará com um cronograma especial para reforçar a importância do turismo brasileiro. “Esperamos que essa iniciativa faça com que o acreano, assim como visitantes de Rondônia e regiões transfronteiriças, como o Peru e Bolívia, conheçam e desfrutem dos nossos produtos e serviços turísticos”, disse Nunes. A campanha tem apoio da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, e contou com a presença do presidente da entidade, Alexandre Sampaio, no seu lançamento. “Essa movimentação permite que o setor possa se destacar. A união nunca foi tão primordial como agora. Por tal razão, o empresariado deve convergir forças para beneficiar todo o setor”, comenta Sampaio.

SPTURIS ANUNCIA NOVA DIRETORA E PARCERIAS

Fernanda Ascar, que atua na SPTuris desde 2005, acaba de assumir a Diretoria de Turismo. “O turismo interno brasileiro será o protagonista da retomada do setor, e São Paulo, sendo um centro completo, terá grande importância neste cenário”, enfatizou a diretora. E as novidades continuam com a formação de novas parcerias entre a SPTuris e a FecomercioSP, que tem por principal objetivo, fortalecer o momento de retomada das atividades. Com a parceria, haverá ações conjuntas e de apoio mútuo para o monitoramento da atividade turística na capital paulista, com coleta, compartilhamento, análise e divulgação de pesquisas e dados do setor de turismo e eventos paulistano.

TURISMO RURAL BUSCA SUPORTE

Desde a chegada da pandemia, no ano passado, a população tem optado por viagens curtas, nacionais, contato com a natureza, atividades ao ar livre, para evitar o contágio da Covid-19, o que fez o turismo rural se destacar no Brasil. Segundo Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), a modalidade é essencial para o desenvolvimento econômico do país, mas existem pontos específicos que devem ser melhorados para que esse segmento possa se desenvolver.

Representantes do turismo rural buscam a aprovação de dois Projetos de Lei: o 4395/20 e o 4396/20. Recentemente, uma audiência pública foi realizada para debater o tema. “O turismo rural pode proporcionar benefícios como a diversificação da economia regional, a melhoria das condições de vida das famílias rurais, a interiorização do turismo, a difusão de conhecimentos e técnicas das ciências agrárias, a diversificação da oferta turística e a diminuição do êxodo rural”, exemplifica Evair Vieira de Melo (PP-ES), autor das duas propostas, que buscam melhorar o acesso ao crédito para o setor. Por tal razão, os projetos foram colocados em pauta para auxiliar os empreendimentos rurais. conforme apresentado pela Agência Câmara de Notícias, em janeiro deste ano.

Além disso, no ano passado, o Projeto de Lei 4396/20 entrou em debate para permitir que os agricultores familiares e os produtores rurais, que utilizam o turismo como atividade secundária, sejam considerados prestadores de serviços turísticos, com cadastro simplificado no Ministério do Turismo (Mtur).

SETOR DE TURISMO REGISTRA CRESCIMENTO DE 21,8%

O Índice Mensal da Atividade do Turismo (IMAT) registrou em maio que a cidade de São Paulo teve um aumento de 21,8% em comparação com o mês de abril no setor de Turismo. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a atividade turística está 68,9% maior. O levantamento é realizado pelo Observatório do Turismo e Eventos (OTE) da Prefeitura e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), considerando tanto as atividades dos empresários da área quanto dos consumidores. “A Prefeitura de São Paulo está atenta a este novo momento da cidade e, em nosso plano de retomada temos o objetivo de impulsionar ainda mais esse movimento pós-flexibilização que atrai turistas domésticos em busca de viagens mais curtas. Já identificamos um crescimento nas atividades com a reabertura do setor de comércio e serviços, dos espaços culturais e demais atrativos turísticos, sempre respeitando protocolos de segurança e capacidade máxima permitida, mas precisamos avançar ainda mais”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Aline Cardoso. Segundo a secretária, a retomada econômica impulsionará também o ecoturismo. “Teremos muita procura por atividades ao ar livre e a cidade de São Paulo oferece este tipo de lazer por meio de seus parques e reservas ambientais”, completa Aline.

NOVO FÔLEGO PARA O SETOR DE FRANQUIAS

Um dos setores mais afetados pela pandemia, demonstra leve, porém significativa reação, no primeiro semestre do ano. Segundo pesquisa de desempenho realizada pela ABF, seguimentos como Casa e Construção, Saúde, Beleza e Bem-estar apresentaram alta, de cerca de 36% e 12,7%, respectivamente. Outro destaque vai para crescimento no número de unidades de franquia Home Based. A Associação Brasileira de Franchising apontou aumento expressivo das unidades Home Based, subindo sua participação de 7,1% para 10,3. “Depois desta experiência concentrada, este nicho tem tudo para continuar crescendo, embalado também nos serviços digitais, ainda mais variados e amplos e que apareceram durante a pandemia”, afirmou André Friedheim o presidente da ABF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui