12 dicas para empreendedores aprenderem a delegar de forma correta em 2024

0
50

Um líder de verdade torna-se um “inútil” relevante e competente, capaz de criar profissionais de sucesso

Quando um empreendedor consegue montar um time para atuar em sua empresa, é necessário desenvolver algumas aptidões de liderança para conseguir concluir tarefas e conquistar o sucesso. Aprender a delegar de forma correta é uma dessas habilidades imprescindíveis para a finalidade empresarial. 

Inspirados no livro provocativo “Como ser um inútil e se tornar milionário” de Alberto Junior, separamos 12 princípios inovadores que desafiam as normas tradicionais, oferecendo uma estrutura única para orientar os líderes em sua jornada de delegação de funções.

  • Tornar-se um “inútil” é importante para criar profissionais: ser um “inútil” competente e relevante significa transmitir seus conhecimentos a fim de criar profissionais capazes de entenderem negócios e funções. Isso também ajuda na valorização do sucesso alheio. Delegar não é apenas sobre transferir tarefas, mas criar um ambiente que proporcione o crescimento e a ascensão dos outros.
  • Contentamento permanente, insatisfação construtiva: estar sempre contente, mas nunca satisfeito, é a dualidade que impulsiona a inutilidade competente. A satisfação pode levar à estagnação, enquanto a insatisfação construtiva impulsiona a busca constante por melhorias.
  • Visão de longo prazo: a sucessão não é um evento pontual, mas um processo contínuo. Ter uma visão de longo prazo permite aos líderes antecipar desafios, criar estratégias sustentáveis e garantir a continuidade do sucesso além de sua própria gestão.
  • Pessoas como chave de sucesso: reconhecer que as pessoas são a chave de tudo é fundamental. Delegar eficientemente significa confiar nas habilidades e capacidades dos outros, capacitando uma equipe para liderar na ausência do líder.
  • Equívoco como sinal amarelo: encarar o equívoco como um sinal amarelo, não vermelho, é crucial. Aprendizado contínuo e adaptação são partes integrantes do processo de delegação.
  • O objetivo compensa a dor: os desafios enfrentados durante a delegação são recompensados pelo alcance dos objetivos. A visão de longo prazo ajuda a manter o foco no resultado final, compensando as dificuldades temporárias.
  • Mérito como critério: cada indivíduo colhe o que planta. A delegação efetiva é baseada no mérito e nas competências, assegurando que a liderança seja transferida para os mais aptos.
  • Replicar e remodelar: a habilidade de delegar efetivamente consiste compreender a importância de identificar o que funciona, replicar essas práticas bem-sucedidas e, ao mesmo tempo, remodelar abordagens quando necessário. Essa dinâmica de adaptação constante não só otimiza a eficiência operacional, mas também fortalece a equipe para enfrentar desafios futuros com criatividade e resiliência.
  • Nada se faz da noite para o dia: o tempo é aliado e não adversário. Enquanto o mundo empresarial muitas vezes anseia por resultados instantâneos, líderes bem-sucedidos entendem que construir uma cultura de delegação eficiente é um processo gradual. Cada passo, cada aprendizado e cada aprimoramento ao longo do tempo contribuem para a construção de uma liderança duradoura e impactante.
  • Sonhos como catapulta para objetivos gigantescos: sonhos são fundamentais, mas objetivos gigantescos são alcançados com ação deliberada. Delegar significa transformar sonhos em metas tangíveis e realizáveis.
  • Trilha da inutilidade: Seguir a trilha da inutilidade implica nas etapas de necessidade, transformação, aprendizado, independência, comprovação, propagação, estímulo e ser incansável. Cada passo contribui para a evolução do líder inútil e relevante.
  • Todo um dia um pouco mais “inútil”: ao reconhecer que a verdadeira liderança está na capacidade de capacitar os outros, os líderes estão, na realidade, se aproximando da inutilidade competente e relevante. A cada dia dedicado ao desenvolvimento da equipe, à promoção do sucesso dos outros e à construção de um ambiente de trabalho colaborativo, os líderes estão mais próximos de alcançar a verdadeira grandeza, onde sua presença não é mais central, mas catalisadora para o sucesso coletivo.

A delegação efetiva é um processo que transcende a mera transferência de responsabilidades. Ao adotar os 12 princípios da inutilidade competente, os líderes podem garantir uma sucessão empresarial que não apenas mantém a continuidade dos negócios, mas também fortalece a capacidade da empresa de se adaptar e prosperar em um ambiente em constante evolução. Esses princípios não são apenas uma estratégia; são a base para construir um legado duradouro e bem-sucedido.

Sobre Alberto Junior

Alberto Junior é CEO da holding Grupo Life Brasil, da Life Brasil Investimentos e da XGain Aceleradora e Franqueadora. Seu negócio é fazer negócios e que pessoas e empresas se deem bem. Ele começou a vender seguros de vida ainda na adolescência, em Porto Alegre (RS), e desde então já acumula mais de 30 anos de experiência no segmento. Acredita no compartilhamento de conhecimento, por isso escreveu cinco livros: “A Lógica” (traduzido ao inglês), “Vendedor Cougati”, “GOOO Up”, “The Big Players” e “Como ser um inútil e se tornar milionário”, exemplares vendidos no Brasil e no mundo. 

É criador do Sistema Integrado de Venda sem Filtro X3 (SIVE), do Método de Formação de Riqueza (MFR) voltado a times comerciais, e do Método de Recrutamento Avançado (MRA), para formação rápida de times comerciais. Já ajudou na formação de mais de 15 mil profissionais, dirigiu pelo menos 700 colaboradores diretamente e realizou mais de 8 mil visitas porta a porta. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui